📢 Chão de Escola #08
Março /2022
Informativo das professoras e professores nas instituições privadas de Guarulhos

 

✔️ ESPECIAL UNG

 

PROFESSORES ESTÃO PREOCUPADOS
SALAS LOTADAS = INSEGURANÇA SANITÁRIA

 

      Começamos o 1º semestre acadêmico de 2022 com os mesmos problemas dos anos anteriores. Agravada pela pandemia da Covid-19 e as medidas sanitárias de prevenção, a doença levou ao isolamento social com aulas remotas. Após muitas lutas sociais coletivas cobrando a responsabilidade do governo Bolsonaro com relação ao direito e acesso à vacina, seguimos mobilizados/as no processo de imunização que se provou urgente e necessário frente as mais de 654 mil vidas perdidas pela irresponsabilidade dos negacionistas contra a vacinas e contra a ciência. 


      Sentimos esse momento no distanciamento dos nossos alunos/as. Mas, preservar vidas era e é necessário! A avaliação do Ministério da Saúde e demais instituições sanitárias é de que é  possível haver um retorno das atividades presenciais neste momento, desde que, se respeitem as medidas de segurança sanitária como uso correto da máscara, álcool em gel e imunização vacinal. 

 

     A reitoria decidiu pelo retorno neste primeiro semestre de 2022. E desde o dia 07/03/22 professores/as e alunos/as retornaram às aulas presenciais.

 

     Enviamos no mês de fevereiro um questionamento com o seguinte conteúdo sobre o retorno presencial:

 

        Com relação ao início do semestre letivo de 2022.1, fomos informados que o corpo docente está recentemente sendo orientado para retorno presencial já na semana de recepção dos alunos veteranos, com relação isso:

 

1️⃣ Quais medidas estão sendo tomadas para garantir a segurança sanitária deste retorno?

 

2️⃣ Considerando a dinâmica desta nova cepa (Ômicron) com aumento expressivo de casos positivos de Covid-19, quais medidas serão prontamente orientadas aos docentes que por algum acaso teste positivo em pleno retorno presencial?

 

3️⃣ Diante do quadro pandêmico atual, a mantenedora pretende adotar permanência por mais um período das aulas remotas?

Até o momento, a resposta da mantenedora foi vaga, sem definir que medidas adotaria. Afirmou que  vai seguir os decretos estadual e municipal, que enviaria aos professores um protocolo e que se propôs a verificar a questão do risco de salas superlotadas.

 

‼️MAS A REALIDADE É OUTRA!


      Salas superlotadas com 80, 100 e 120 alunos/as. Salas sem sinalização de distanciamento social, orientação para uso obrigatório de máscaras e falta de álcool em gel. Redução dos profissionais de apoio técnico que tem gerado sobrecarga de trabalho. E o pior, a normalização da pandemia, como se tivéssemos sido transpostos do ano de 2019 para o de 2022 e que nada tivesse acontecido.

 

O protocolo enviado aos professores, que reproduzimos a parte que interessa a saúde e segurança dos professores/as afirma que:

 

“Caro(a) Docente,
Queremos desejar um feliz retorno às nossas (tão) esperadas aulas presenciais. Nesse documento vocês encontrarão algumas orientações para que a volta seja segura e eficiente. (…) Salas de Aula
1. As salas de aula reservadas para cada turma estarão informadas em banners espalhados pela universidade;
2. Orientar os alunos que utilizem os mesmos lugares na sala de aula e evitem transitar entre as mesas
3. Manter as salas abertas e ventiladas
4. Utilizar máscara e álcool em gel 70%
5. Orientar os alunos a utilizar máscara e álcool em gel;
6. Caso observe ou ocorram anomalias de funcionamento ou dano em algum equipamento e itens de infraestrutura pedimos a gentileza de informar pelo e- mail administrativo@ung.br.

 

COVID-19
1. Em caso de dois ou mais sintomas (Febre (mesmo que referida), calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos (perda do olfato ou paladar) informar a instituição.
2. Informar a instituição assim que identificarem um aluno com sintomas;
3. Em caso de professores ou colaboradores com resultado positivo (tipo RT-PCR ou Teste Rápido de Antígeno para Covid-19) e sintomáticos, estes devem ser afastados do serviço por um período de dez dias contados a partir do primeirodia de sintomas;
4. Em caso de professores ou colaboradores com resultado positivo (tipo RT-PCR ou Teste Rápido de Antígeno para Covid-19) e assintomáticos, estes devem ser afastados do serviço por sete dias contados a partir da data do resultado;
5. A partir quinto dia o professor que testou positivo e que realizar o teste (tipo RT-PCR ou Teste Rápido de Antígeno para Covid-19) e der resultado negativo, podem retornar à atividade presencial
• Recomendações Preventivas.
1. Evitar tocar a boca, o nariz, o rosto e os ouvidos com as mãos não higienizadas;
2. Manter a distância segura de outras pessoas, utilizando máscara de proteção;
3. Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência, principalmente ao final de cada turno.
4. Alunos e Professores devem trazer máscaras adicionais para eventual troca durante o turno, considerando o mínimo de 01 máscara para cada turno de permanência em atividade presencial.”

 

❓PERGUNTAMOS: “ISSO ESTÁ SENDO REALIZADO? ESTAMOS SEGUROS/AS?

 

‼️PARECE RIDÍCULO, MAS É IMPORTANTE! Recebemos denúncia de colegas no final de fevereiro e que estão em atividade presencial na UNG Campus Centro sobre a impossibilidade de utilizar a sala dos professores/as. A cobrança é justa e é o mínimo para nosso descanso, as vezes uma preparação de aula, tomar um café, enfim, condições mínimas e dignas. O Sinpro Guarulhos encaminhou nossa reclamação e depois a reitoria se comprometeu a atender. Retomar atividades presenciais sem considerar as condições de trabalho é respeitar os professores/as?


‼️AINDA ESTÁ ROLANDO O SHOW DE AUDITÓRIO
A UNG segue realizando as aulas com os “notáveis mestres” e fomos informados que têm havido “aulas” com mais de 4 mil alunos/as on line. Isso é o que chamam de aulas hibridas ou modelo Ubíqua? Precarizar a qualidade do ensino, retirar horas aulas de VERDADEIROS/AS PROFESSORES/AS? Seguimos com nossa crítica e esperamos uma negociação pedagógica, pois somos nós que carregamos academicamente esta universidade.


‼️DÁ PRA PAGAR UM PÃO COM OVO?
A cada semestre perdemos horas-aula, reduzidas diante da crise político-econômica do país e por uma forma de gestão de gera mais insatisfação dos alunos/as do que os atrai para universidade. Não é de hoje que ao pesquisar nos sites especializados no ranking da instituições de ensino superior a qualidade da UNG está na dedicação dos seus professores/as, mas a mal avaliada questão é ainda a forma como a UNG trata a sua comunidade acadêmica. Não seria a hora de valorizar os que realmente carregam a UNG nas costas?


‼️SALÁRIO É DIREITO E TEMOS QUE RECEBER. MAS EM QUE BANCO?
A chamada dos jornais, inclusive do “Valor Economico” de novembro de 2021 era a seguinte: “Ser Educacional investe na criação de banco digital”, até aí o Grupo Ser faz do seu lucro o que quiser. Porém, quis inovar. Em dezembro na semana do réveillon onde todos/as estávamos nos preparando para virada do ano, mensagens de whats informavam que nós professores/as deveríamos criar uma conta no banco digital B.Uni para poder receber nossos salários. Sem nenhum comunicado oficial da universidade  e nem da mantenedora em um período de festas de fim de ano. 


O Sinpro Guarulhos informado disso enviou questionamento à mantenedora:  


1️⃣ Se houve comunicado formal e justificativa quanto a mudança e migração da conta salário dos docentes?


2️⃣ Se procede o risco de não haver pagamento em dia do salário para os docentes que não migrarem para referida conta? 


3️⃣ Havendo essa mudança por decisão da mantenedora, quais medidas de esclarecimento, orientação e suporte aos docentes nesse processo de migração?


       A resposta, novamente, foi que era prerrogativa da instituição definir em qual banco faz o pagamento de seus trabalhadores, que nenhum professor/a terá salário cortado, suspenso ou não depositado e que todos serão orientados sobre o processo de mudança, bem como ajustes técnicos. 


👀 VAMOS FICAR DE OLHO  👀.
 
✊🏾 PROFESSORES/AS DO SUPERIOR, ESTAMOS EM CAMPANHA SALARIAL!
         O Sinpro Guarulhos iniciou a campanha salarial do Ensino Superior e a participação dos colegas é fundamental para que possamos cobrar nossas reivindicações que vai além da questão salarial. Um luta que tem sido necessária à nossa existência é contra a precarização e apropriação do trabalho intelectual de nós, professores/as, como a necessidade de regulamentação do EAD com reconhecimento da condição docente e respeito ao processo de trabalho docente. É importante acompanharmos.


✊ Sindicato é pra lutar!
Março/2022