secretario.jpg
❌ Secretário da Educação se submete aos interesses políticos e econômicos da SEDUC, da AEG e do Escolas Abertas, contraria acordo firmado por ele e dá as costas para professores e comunidade escolar das redes pública estadual e privada ❌
 

Ocorreu ontem uma reunião na Secretaria Municipal de Educação com participação de representantes da APEOESP e do SINPRO Guarulhos, para tratar da suspensão das aulas presenciais em todas redes de ensino na cidade. O Secretário Paulo César informou que a prefeitura já atendeu a determinação judicial e que as aulas rede municipal continuam da forma remoto, sem antecipação do recesso e no que diz respeito as demais redes (pública estadual e privada) disse que cabe ao Juiz comunicar e fazer cumprir a determinação prevista no acordo judicial da audiência ocorrida no dia 28/04/2021.

 

Argumentando contra a posição do Secretário, reafirmamos que também é de responsabilidade do poder municipal fazer valer essa determinação, pois foi a própria administração municipal que autorizou recentemente o retorno as aulas presenciais na cidade.

Que, além disso, foi administração municipal, através da secretaria da educação e da saúde, que participou da audiência e reconheceu a gravidade do período que estamos passando devido a pandemia, com alto índice de contaminação, aumento do número de óbitos e a dificuldade de atendimento médico-hospitalar intensificada pela elevação da taxa de ocupação de leitos de UTI e de leitos de enfermaria.


Entendemos que dentro desse quadro de grave crise sanitária cabe ao poder municipal, por lei e por responsabilidade, preservar a saúde e a vida de todos e não somente da comunidade escolar da rede municipal, por isso se faz necessário publicação de um decreto, amparado na determinação judicial que suspendeu aulas presenciais nas demais redes de ensino da cidade.


Não assumir compromisso na integralidade daquilo que foi determinado pela justiça, assim como se furtar das suas responsabilidades e aceitar que os interesses econômicos dos donos de escolas se sobreponham a vida das pessoas e, ao mesmo tempo, ser conivente com o autoritarismo da SEDUC é dar as mãos a negacionistas e genocidas que são culpados por mais de 400 mil mortes no país.


O Secretário Paulo César, lavou as mãos diante do terrível quadro que a pandemia apresenta todos os dias, simulou um compromisso enquanto estava na frente do juiz e agora procura subterfúgios para não cumprir o acordo por ele mesmo firmado. Alega questões jurídicas para desdizer o que havia dito anteriormente e repete, na íntegra, o discurso da AEG, da SEDUC e do grupo escolas abertas de Guarulhos para que o acordo não seja cumprido.


Por fim, o comportamento do secretário, que até pouco tempo se mostrava preocupado e comprometido com a parte que cabe à educação no combate à pandemia, agora se submete vergonhosamente ao poder e à pressão de grupos políticos e econômicos na cidade, mais comprometidos com a defesa de seus interesses do que com o combate da pandemia que tem exigido imensos esforços de todos e enlutado inúmeras famílias. Desrespeita professores e professoras das redes pública estadual e privada, age em desacordo com o Ministério Público que sempre defendeu que abertura ou fechamento de escolas deveria ocorrer em todas as redes de educação, finge não ter responsabilidade quanto ao acordo judicial por ele firmado.


Nós, continuaremos lutando e defendendo a vida, assim como a seguiremos defendendo a educação como um direito fundamental e não como atividade essencial e estamos convictos que em com nossa luta não carregamos uma gota de sangue pelos mortos, tampouco uma lágrima dos que seguem enlutados.


✊🏾Sindicato é pra Lutar!

Apeoesp Subsede Guarulhos, Santas Isabel e Arujá
Sinpro Guarulhos
Fórum Popular da Educação de Guarulhos